21. jul, 2017

Desmontando mitos sobre a construção em madeira ParteIV

Desmontando mitos sobre a construção em madeira: Durabilidade das construções em madeira III

O interesse sobre a construção em madeira, advém de vários fatores entre os quais a “ (…) madeira tem contribuição de armazenamento (sequestro de carbono) “ (Santos, 2004, p.16), o que contribui para uma maior sustentabilidade das edificações. Sendo um recurso a ser considerado na resolução da problemática premente da sustentabilidade. Utilizando-se em vários elementos dos edifícios, nomeadamente em paredes estruturais, paredes divisórias, portas, portadas, estruturas de coberturas, revestimentos. “No nosso país o seu uso, bem como o da pedra, entrou em declínio aquando do advento do betão armado, sendo relegado apenas para funções de acabamento, tal como aconteceu ao seu companheiro por excelência durante centenas de anos, a pedra.” (Flórido, 2010, p.1)
Segundo o autor referido anteriormente, Flávio Flórido (2010) as características únicas da madeira fizeram com que a maioria dos edifícios tenham durado centenas de anos, só vindo a sofrer degradação quando não há uma adequada manutenção.
“A utilização destes sistemas construtivos “puros” em madeira foi outrora corrente em Portugal, (…) e que foi desaparecendo por vicissitudes várias; de facto se é o Homem que os constrói, é igualmente o Homem as destrói, os substitui (…) quando os julga, obsoletos: é o palimpsesto construtivo.” (Vaz, 2010, p.45)